Um Amor Por Contrato #1

Juliet , filha de um dos nobres mais ricos e popular de seu reino, não é livre como gostaria, e para isso mudar ela teria que aceitar o seu pretendente, assim teria toda a liberdade que deseja mas por um porém, ela teria que ser acompanhada pelo seu pretendente ou pessoas que ele conhece, assim fingindo um pequeno afeto pelo filho de um antigo amigo da família 
Continue para ler o primeiro capitulo

 4 de outubro~

Olá... Me chamo Juliet, tenho 16 anos, sou uma nobre de um reino não muito longe mas também não muito perto da Europa, tenho uma vida de riqueza por minha família ser nobre e bem vista pelas pessoas do reino, tendo assim parcerias com o rei, condes e lordes (eles tem seus contatos) sou uma garota digamos que "feliz" (?) digo isso porque eu passo bastante do meu tempo em meu quarto estudando, já que meus pais não ficam em casa e estão sempre saindo... Sinto falta deles e bastante mas ok, sobrevivi assim até agora, então continuarei.
Gosto bastante de sair, ver as flores, sentir a brisa, andar por ai, pena que não posso fazer isso diariamente, só de algumas a algumas semanas que são longas e chatas e demoram para passar... 
Meus pais só me darão a total liberdade quando eu conhecer a pessoa que irá se casar comigo, que eles escolheram para mim, com um tipo de contrato pelo que eu sei, assim eles entregam sua filha para o filho de nobres que cujo os meus pais conhecem os pais do noivo a muito tempo, eles tinham esse contato desde antes do meu nascimento.
Eu não o conheço e nem a família dele, e daqui a alguns dias eu o conhecerei, mas, estou com medo de me casar com uma pessoa que eu não irei amar, uma pessoa que não me fara sentir aquilo que quero sentir em meu coração, quero amar e ser amada mas pela pessoa certa, só espero que ele seja esta pessoa, pois seria completamente errado para os meus pais eu me apaixonar por outra pessoa e querer mudar o meu destino, me chamariam de rebelde e eu não seria mais aceita como sou, sou uma garota tranquila, e faço de tudo para deixar todos felizes, inclusive meus pais, quero que eles se orgulhem de mim, sim eu quero poder ter o direito de criar o meu próprio destino, querer ter ele em minhas mãos, mas a vida não é uma fabrica de realização de desejos, e lutar por isso, seria perda de tempo, pois todos aqui tem seus destinos nas mãos de seus pais ou responsáveis. Então não há muito que eu possa fazer, até porque eu poderia ser expulsa de casa por não aceitar as regras impostas por eles e isso me machucaria e aposto que a eles também, além de tudo, tenho certeza que eles me amam muito e acho que não faria nada que não fosse para o meu bem.
Esse contrato foi assinado ontem pelas duas famílias, agora é só esperar alguns dias para nos conhecer. Espero que de tudo certo e que uma paixão floresça em breve. 


5 de outubro ~10:20~
P.O.V Juliet
Lá estava eu, em plena 10:20 da manhã lendo um pouco na sala, um livro que eu amo sobre aventura, romance, guerras e entre outros... Fico lendo por um tempo, até meus pais chegarem em casa, com um papel em suas mãos, para meus avós assinarem, então meus pais chamam meus avós, meus avós vão até a sala e assinam o papel, logo depois meus pais saem de novo, e eu continuo lendo como se nada tivesse acontecido.
Fico lendo até chegar a tarde e vou almoçar com a minha família, até que eles começam a tocar no assunto de casamento... Queria poder falar tudo que eu queria dizer a muito tempo, mas tenho consciência de que eu não devo dizer nada, ainda não é o momento certo (não sei nem se o momento certo irá existir um dia) 
-Então minha filha, está pronta para conhecer o seu noivo ? (mãe)
-Hm...? Ah, acho que sim (eu)
-Mas que falta de empolgação minha querida (avó)
-... É que... Estou um pouquinho assustada para conhece-lo... Tenho medo de não ser exatamente do jeito que eu acho que precise ser- digo essa última parte meio baixo para que eles não ouçam. (eu)
- Não precisa ficar assustada, eu já conheci ele e ele é um ótimo rapaz, pode ter certeza (mãe)
Apenas dou um sorriso, e continuo comendo, perdida em meus pensamentos. Passa um tempo, tudo em silêncio, até que eu termino de comer e vou para o jardim de minha casa, sentir o sol bater um pouco em meu rosto, tudo que eu queria era ter com quem contar para me ajudar com isso, mas isso esta meio fora de cogitação no momento, mas tudo bem, o costume já vem da minha vida inteira, deito no jardim e fico olhando as nuvens até pegar no sono lá mesmo. Depois disso eu não sei mais o que aconteceu a minha volta, sei que acordei um pouco tarde quando minha mãe me acordou para conhecer aquele que tem minha mão prometida. Acordo assustada e minha mãe já pede para eu ir me arrumar, eu a obedeço e vou, tomo um banho, coloco uma roupa apresentável, arrumo meus cabelos e uso um perfume doce, desço e logo vejo ele, seus olhos fixaram em mim, e os meus nele, ele era muito bonito, e parecia uma ótima pessoa também, mas eu não senti nada de especial, bom, pelo menos, por enquanto não.
Ficamos algum tempo em silencio trocando olhares entre a sala, até que ele vai até mim, segura minha mão, a beija e me leva até o "centro" da sala.
- Querida este é Ryuki, filho de Charles, seu futuro noivo (minha mãe)
- É um prazer conhece-la Juliet (Ryuki)
- O prazer é todo meu Ryuki (eu dando um leve sorriso sincero)
Ele realmente parece ser uma boa pessoa, mas sinto que falta algo nisso, algo forte, paixão, estou achando isso tudo muito frio, sem emoção... Eu realmente espero que essa paixão, esse calor apareça em algum momento... Isto já está me preocupando...


Nenhum comentário :

Postar um comentário